14. "Inventei a Fotografia..."

Lamento de H. Florence sobre uma de suas fotografias

Lamento de H. Florence sobre uma de suas fotografias.
Na Correspondência de Hércules Florence, encontram-se lamentos por não ter conseguido desenvolver suas invenções, sentindo-se sempre ultrapassado por outros, que viviam em meios mais favoráveis.

E o Sol não brilhou para Florence

"Estou certo de que se estivesse em Paris..."

"Inventei a fotografia. Fixei as imagens na câmara escura. Inventei a poligrafia, a impressão simultânea de todas as cores, a prancha definitivamente carregada de tinta, os novos sinais estenográficos. Concebi uma máquina que me parecia infalível, cujo movimento seria independente de um agente qualquer e cuja força teria alguma importância. Comecei a fazer uma coleção de estudos de céus, com novas observações, muitas aliás, e meus descobrimentos estão comigo, sepultados na sombra. Meu talento, minhas vigílias, meus pesares, minhas privações são estéreis para os outros. Não me socorrem as artes peculiares às grandes cidades, para desenvolver e aperfeiçoar alguns de meus descobrimentos, para que eu me cientificasse da exatidão de algumas de minhas idéias. Estou certo de que, se estivesse em Paris, um único de meus descobrimentos poderia, talvez, suavizar-me a sorte, ser útil à sociedade. Lá, talvez, não me faltassem pessoas que me ouviriam, me adivinhariam e me protegeriam. Estou certo de que o público, o verdadeiro protetor dos talentos, me compensaria de meus sacrifícios. Aqui, porém, ninguém vejo a quem possa comunicar minhas idéias. Os em condições de as entenderem, seriam dominados por suas próprias idéias, por suas especulações, pela política, etc."

(Hércules Florence)

Detalhe do Sofrimento

Detalhe do Sofrimento

Em 1839, Hercules Florence soube que seu conterrâneo, Daguerre, havia criado o processo de reprodução que se chamou daguerreotipia, e chegava primeiro ao reconhecimento público. Hércules ficou desolado e desistiu de aperfeiçoar seu invento. Estravazou seu sentimento, nas duas frases que escreveu sobre uma de suas fotografias. Mais tarde chegou a ser solicitado por órgãos do governo francês para enviar informações sobre seu invento. Ele preferiu não dar continuidade ao assunto, desejando que outros inventos ainda fossem reconhecidos, como a Poligrafia e o papel inimitável. Para esse desejo, não houve resposta.