Retrato de Hércules Florence

"Inventei a Fotografia"

Conheça um pouco da história do jovem francês, que chegou ao Rio de Janeiro, Brasil, em abril de 1824. Antoine Hercule Romuald Florence, conhecido no Brasil como Hércules Florence, nasceu em 29 de fevereiro de 1804, em Nice, França. Sendo seus pais Arnaud Florence, natural de Toulouse, e de Augustine de Vegnalys.

Engajou-se com autorização da família, no barco à vela, Marie Thèrese, navegando por 45 dias para chegar ao Rio de Janeiro. O barco continuou seu trajeto, mas Hércules ficou. Tinha então 20 anos. E o Brasil, dois anos depois de sua Independência de Portugal.

Foi o espírito de aventura que trouxe Hércules Florence. E este era o país que tudo tinha para satisfazer esse desejo. Era muito jovem e leitor de romances como Robson Crusoe. Carregando em sua bagagem a escolaridade básica européia, exerceu primeiro, seu lado desbravador em seu próprio país. Depois, mar a fora... e Brasil.

Alguns episódios:

Depois, em 1825, embarcou como segundo desenhista na Expedição científica russa, chefiada por Barão de Langsdorff, uma das mais significativas e trágicas expedições científicas, pelo interior do Brasil. Essa Viagem terminou em 1829;

Retornando à província de São Paulo, casou-se em 1830, com Maria Angélica Vasconcelos, filha do médico e político, Francisco Álvares Machado, da cidade de Itú. Radicou-se na Vila de São Carlos, atual Campinas.

Assim, Hércules Florence foi pioneiro da tecnologia por seus inventos: a Poligrafia (1830) a Fotografia (1832) e o papel inimitável (1842), entre outros.

Pelos desenhos e pinturas, ele recebeu o título de "patriarca da iconografia paulista" concedido por Alfredo D'Escragnolle Taunay (Visconde de Taunay).

Suas descrições da paisagem brasileira durante a Expedição Langsdorff são de uma beleza incontestável e devem ser conhecidas. Nelas a narração minuciosa dos fenômenos inerentes à nossa grande floresta, ilumina-se, num misto de cultura européia e surpresas culturais de um país ainda primitivo.

Vivendo em Campinas por mais de 50 anos, deixou grande família e inestimável contribuição histórica. Foi sepultado nessa cidade.

Para Pedro Correa do Lago, autor da obra "Iconografia Paulista do Século XIX", "Hércules Florence foi um dos personagens mais interessantes do Brasil do Século XIX, e talvez o estrangeiro mais notável estabelecido na província de São Paulo em sua época".

Uma história para se pensar.

Dayz Peixoto Fonseca

(Todos os direitos reservados)

Índice