A Casa-Museu 

A casa é sóbria,  com características arquitetônicas marcantes.  O tom róseo da pintura art-deco e o desenho em marrom, barroco, emoldurando os batentes das portas, janelas e quinas (encontro) das paredes criam a sutileza ornamental. Na entrada, no pequeno alpendre, a "capelinha" de Santo Antônio, revela ao visitante a fé do morador. Em entrada lateral, uma galilé (ornamento arquitetônico barroco) é construída em pedras. Misturam-se os limites conceituais entre o barroco o maneirismoart-deco. No entorno da casa, especialmente, a grade de proteção, completa a mistura dos estilos. Ela reproduz em ferro forjado, as folhas da palmeira mediterrânea. 






A Casa-Museu, no centro do Parque Güell,  onde Gaudi residiu cerca de 20 anos. Ornamentada por palmeiras.




Aplaca indicando  os horários de
funcionamento, etc.



Detalhe de uma das entradas ornamentada por galilé.



Detalhe da grade, sugere a presença do
maneirismo.

Suporte de vaso.



Detalhe da grade de ferro forjado.


Detalhe das folhas reproduzidas 
nas grades. Palmeira mediterrânea.



Na entrada da casa, os arcos de ferro para as trepadeiras.



O banco de madeira, um dos 
objetos do museu.



Na escada e paredes, o desenho art-deco.