Polens /Grupo Vanguarda

Amigos, o chão está pobre, é preciso espalhar ricas sementes... Novalis

grupo vanguarda de campinas


Reproduções/ obras dos artistas/ Catálogo Grupo Vanguarda de Campinas.


Na foto, da esquerda para a direita: Geraldo Jürgensen, Bernardo Caro, Raul Porto, Thomaz Perina, Enéas Dedecca, Mário Bueno, Francisco Biojone. Estava ausente a artista Maria Helena Motta Paes. Foto/ MIS de Campinas, 1981.

 



Para abrir o Catálogo
"Grupo Vanguarda"

basta clicar em uma das formas:

CATÁLOGO ANIMADO

CATALOGO EM PDF

Projeto Vanguarda 30 anos

1981-2011



Grupo Vanguarda de Campinas /

BREVE HISTÓRICO

O levantamento do histórico do Grupo Vanguarda de Campinas (Artes Plásticas), foi um trabalho especial do Museu da Imagem e do Som de Campinas, órgão da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura Municipal de Campinas, no ano de 1981.

No período de 1958 e 1966, o Grupo Vanguarda implantou a arte contemporânea em Campinas, até então considerada reduto da arte acadêmica, principalmente pela importância que haviam adquirido os Salões de Belas Artes, consagrando os artistas que dele participavam.

Os eventos artísticos considerados históricos do Grupo Vanguarda foram realizados em Campinas, São Paulo, Santo André, Poços de Caldas, Rio de Janeiro, entre outros.

Os artistas que integraram o Grupo por ordem alfabética foram: Bernardo Caro (gravurista), Edoardo Belgrado (desenho, pintura e gravura) Enéas Dedecca (pintura e colagem), Francho Sacchi (pintura), Francisco Biojone (pintura), Geraldo Jürgensen (escultura e pintura), Geraldo de Souza (pintura), Maria Helena Motta Paes (pintura), Mário Bueno (pintura), Raul Porto (desenho, pintura e colagem) e Thomaz Perina (desenho, pintura e arte ambiental).

Atuaram junto ao Grupo Vanguarda, como apoio teórico, os críticos de arte, Alberto Amêndola Heinzl (também poeta e escritor) e José Armando Pereira da Silva. Heinzl participou de algumas exposições apresentando poemas concretos. Foi ele quem redigiu o manifesto através do qual o Grupo Vanguarda deu início a sua história. Esse manifesto foi publicado no jornal tabloide, do Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas, do mês de junho de 1958.

 

 

PROJETO VANGUARDA
O Projeto Vanguarda foi idealizado e coordenado por Dayz Peixoto Fonseca (Historiadora), que em 1981 era Coordenadora do Museu da Imagem e do Som (MIS) de Campinas.
O objetivo do Projeto Vanguarda era o Levantamento do histórico do Grupo Vanguarda de Campinas, atuante em Artes Plástica, no período de suas atividades.
Local dos trabalhos - Museu da Imagem e do Som de Campinas
Data da realização - ano de 1981

***

ATUALIZAÇÕES

O histórico do Grupo Vanguarda de Campinas passou por atualizações, constantes do livro "Thomaz Perina - pintura e poética", publicado em 2005, por Dayz Peixoto Fonseca e José Armando Pereira da Silva.

No período de 1981 aos dias atuais, faleceram os artistas: Geraldo Jürgensen (1987), Raul Porto (1999), Mário Bueno (2000), Enéas Dedecca (2004), Maria Helena Motta Paes (2005), Bernardo Caro (2007) e Thomaz Perina (2009). Entre nós, em franca atividade, temos o pintor Francisco Biojone, que continua residindo em Campinas, SP, onde sempre viveu.

TESES

Depois do histórico levantado pelo MIS de Campinas, o Grupo Vanguarda foi objeto de estudos em diversas teses acadêmicas, de mestrado e doutorado. Nesses estudos, o Catálogo que agora passa a fazer parte deste site tem sido sistematicamente utilizado como importante fonte de referência. (DPF)

 

Copyright de Dayz Peixoto Fonseca (www.polens.com.br )
Contato
Topo